Liza Dumovich – coeditora

Ana Maria Raietparvar – coeditora

O ano de 2016 foi intenso, repleto de acontecimentos marcantes no Brasil e no mundo. Foi também o primeiro ano da DIASPORA, uma importante realização para todos nós que, com insistente dedicação, construímos diariamente a Revista.

O projeto da Revista DIASPORA nasceu da tentativa de pesquisadores, jornalistas e interessados pelo tema em criar um canal de divulgação de informações acuradas e análises especializadas sobre o Oriente Médio, Norte da África e suas diásporas, não só no Brasil, mas em todo o mundo.

Neste primeiro ano, conseguimos realizar e consolidar nosso projeto. Conquistamos leitores, parceiros e colaboradores, chegamos a Nova Iorque e a Baku. Organizamos um dossiê sobre o Movimento BDS, montamos ensaios fotográficos, publicamos matérias e colunas, produzimos nosso próprio material e traduzimos textos de outras mídias independentes dedicadas a essa temática. Demonstramos nosso apoio às pessoas em situação de refúgio no Brasil e mostramos seus dramas diários; apresentamos filmes, artistas plásticos, grupos de dança e bandas de rock, do Marrocos ao Irã.

O sexto número é comemorativo dessa realização. Dessa vez, trazemos a crítica de Murilo Bon Meihy às frequentes análises midiáticas da realidade do Oriente Médio e Norte da África; o porquê da popularidade de Erdogan na Turquia, por nossa sempre presente Monique Sochaczewski; e a matéria de Rodrigo Ayupe sobre as últimas eleições no Líbano. Diego Gebara apresenta Mashrou’ Leila, atentando para o posicionamento sociopolítico da banda libanesa, e Francirosy Campos Barbosa escreve sobre as convergências e os desencontros entre os diversos feminismos e o islã. Lembramos a morte do cineasta iraniano Abbas Kiarostami e apontamos para o acirramento das dificuldades vividas pelos americanos muçulmanos após a vitória de Trump nos EUA, com textos de Leila Lak. Para fechar o número, o especialista em Oriente Médio e islã Paulo Pinto ilumina as grandes questões que envolvem a região atualmente, ao decifrar o que muitas vezes nos é incompreensível.  

Esperamos que o próximo ano traga novas oportunidades! Que em 2017 possamos nos aproximar ainda mais do Oriente Médio e Norte da África, conhecer um pouco das pessoas que vivem ali ou que compartilham uma memória dessas regiões, com suas nuances e complexidades, diferenças e semelhanças. Que venha mais um ano!

Sobre a autora:

 

Liza Dumovich é Antropóloga e Coeditora da REVISTA DIASPORA.